Independência Espiritual

“O movimento sannyas não é meu. Ele não é de vocês.

Ele estava aqui quando eu não estava. Ele estará aqui quando eu não estiver.

O movimento sannyas significa simplesmente o movimento de buscadores da verdade.

Eles sempre estiveram aqui.

Sempre existiu uma fileira de buscadores da verdade. Eu chamo isso de sannyas. Isso é eterno. Isso é sanatan. Isso nada tem a ver comigo. Milhões de pessoas contribuiram para isso. Eu também contribuí com meu próprio compartilhar.

Ele continuará se tornando cada vez mais rico.

Quando eu tiver partido, haverá mais e mais pessoas chegando, e fazendo com que ele fique mais rico.

Um dia eu partirei. Isto não significa que o movimento sannyas acabará. Ele não pertence a ninguém.

Eu não posso lhe dar a verdade, mas posso lhe mostrar a lua… Por favor, não se apegue ao meu dedo que está lhe mostrando a lua. Este dedo desaparecerá; A lua permanecerá e a busca continuará. Enquanto houver um simples ser humano sobre a terra, as flores do sannyas continuarão desabrochando.

Primeiro, eu sou o único homem em toda a história que lhe deu individualidade. Os chamados gurus estiveram fazendo exatamente o oposto: eles estiveram tirando a sua individualidade. Todo o esforço deles era para que você se entregasse a eles. A sua função era apenas tocar-lhes os pés e receber as suas bênçãos. Meu esforço é totalmente diferente. Você não consegue receber qualquer bênção só por tocar os pés de alguém. Ao contrário, você está tornando aquele homem mais doente e egoísta.

O ego é o câncer da sua alma. Não torne ninguém doente. Tenha compaixão. Nunca toque os pés de ninguém…

Meu esforço é para tirar todas as tradições, ortodoxias, superstições e crenças de sua mente de modo que você possa alcançar um estado de não mente, o estado supremo de silêncio, onde nem mesmo um pensamento se move. Nem mesmo uma ondulação no lago de sua consciência.

E a coisa toda tem que ser feita por você. Eu não estou dizendo, ‘Siga-me simplesmente, eu sou o salvador. Eu salvarei você. ’ Tudo isso é repulsivo. Ninguém pode salvá-lo, a não ser você mesmo. E a independência espiritual é a única independência que merece ser chamada de independência.”

Osho, Last Testament, Vol. 6. Número 14


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *